Qual é o sentido de escrever fanfiction baseada no legendário de Tolkien?

A fanfiction, de acordo com Vargas (2005, p.21) (…), é uma história escrita por um fã, envolvendo os cenários, personagens e tramas previamente desenvolvidos no original, sem que exista nenhum intuito de quebra de direitos autorais e de lucro envolvidos nessa prática. Os autores de fanfiction dedicam seu tempo a escrevê-las em virtude de terem desenvolvido laços afetivos fortes com o original (…).

Nos séculos XVII e XVIII foram observadas diferentes versões de obras como Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, e Dom Quixote de la Mancha, de Miguel de Cervantes e se exploramos a fundo poderemos encontrar exemplos ainda mais antigos como o fenômeno Amadis de Gaula surgido na península Ibérica e com versões e continuações escritas por toda Europa nos séculos XVI e XVII.

As fanfictions baseadas no legendário de JRR Tolkien existem há pelo menos seis décadas e tem sido, nas últimas duas, uma das comunidades de fanfiction online mais consistentemente ativas. Podem observadas e interpretadas de maneiras diferentes. Vamos analisar os exemplos no legendário de Tolkien. Do ponto de vista da homenagem há por exemplo Parting of Arwen e The Jewel of Arwen escritos em 1974 (um ano após a morte de Tolkien) por Marion Zimmer Bradley, a escritora de Brumas de Avalon. Do ponto de vista comercial podemos interpretar Middle-earth: Shadow of Mordor e Middle-earth: Shadow of War, como fanfiction pelo o fato de não ser canônico e se não exatamente escrito por um fã tem o propósito de agradar ao menos um nicho deles (exatamente este que gosta de fanfictions). A também aquelas fanfiction polêmicas como O Ultimo Anel, do Kirill Eskov a trilogia do Anel das Trevas, do Nick Perumov e O Livro Negro de Arda da dupla Vassilyeva e Nekrasova que desafiaram o espólio Tolkien publicando comercialmente estas obras na Rússia (alguns inclusive foram publicados em espanhol, português de Portugal e inglês. Há também algumas obras de Dennis McKiernan que nasceram como uma fanfiction (no caso uma continuação de O Senhor dos Anéis) e por questões legais tiveram nomes de personagens e lugares alterados, se tornando uma obra "original" (algo que também aconteceu trilogia 50 Tons, E. L. James, que nasceu como uma fanfic baseada na série de livros Crepúsculo, da Stephenie Meyer). Os autores e leitores de fanfiction baseada em Tolkien navegam por elementos transformacionais e afirmativos de maneiras complexas. Há algumas hipóteses debatidas entre os estudiosos do fenômeno:

- Frustração com oportunidades perdidas no cânone. Lemos um livro e realmente gostamos dele. Mas há algum ângulo faltando que gostaríamos que o autor tivesse abordado, e isso nos incomoda profundamente ao ponto de escrevermos sobre essa parte não explorada. Funciona como um "exorcismo literário".

- Estamos em um estado de fascínio (que pode ter vários níveis) e desejamos passar mais tempo no universo criado pelo autor, explorando aspectos do cânone e suas implicações mais além do que é proposto.

- Debater a obra mesmo em nível acadêmico já não satisfaz. Digamos que alguém queira investigar mais questões de raça e colonialismo, então demonstra suas teses através de uma fanfic sobre os ataques de Númenor aos homens das trevas, ou sobre Galadriel / Celeborn / Oropher / Thranduil se tornando governantes minoritários sobre uma população na qual eles não nasceram. Duas pessoas podem escrever essas histórias e ter conclusões muito diferentes sobre o texto, e se for feito em um formato legal de “ficção”, muitas pessoas preferem isso a um debate.

- Escritores de minorias podem usar fanfiction para discutir sua própria relação com o texto escrevendo sobre, por exemplo, elfos tendo diferentes construções de gênero ou alguma raça da Terra Média lidando com o preconceito: orcs lives matter.

- Leitura reparadora. Essa é a vertente mais problemática. O plot de maneira geral nos parece bom. Mas... Não gostamos da forma que o autor resolveu algumas situações, geralmente o final da história. Então escrevemos para "consertar" o texto original.

- Ainda há quem se proponha explorar a história contrafactual. É o famoso "O que aconteceria se...). Por exemplo o que aconteceria se Gandalf fosse dominado pelo Um anel? Esse tipo de especulação é inclusive usado academicamente fora da ficção literária. Ficou curioso? Um dos estudiosos que explora muito esse tema é o Niall Ferguson.

Para quem tiver interesse nesse universo alternativo experimente buscar em http://www.storiesofarda.com/ e https://archiveofourown.org/ (neste há pelo menos 30 mil fanfictions baseados no legendário Tolkien, alguns tão grandes quanto os livros do próprio Tolkien. Há outras fontes como o Wattpad, FanFiction.Net e ‎Spirit Fanfics entre outras porém com poucos trabalhos interessantes.

Você escreve? Já escreveu algum conto baseado no universo da Terra Média? Toparia escrever um conto (de 1 000 a 20 000 palavras) baseado nas obras de Tolkien? Se a resposta for sim e concordar em divulgar seu trabalho, encaminhe para tocasantacatarina@gmail.com que publicaremos aqui!


Cuiviénen, Astámo da TocaSC REFERÊNCIAS:

VARGAS, Maria Lúcia Bandeira. O fenômeno fanfiction: novas leituras e escrituras em meio eletrônico. Passo Fundo: Universidade de Passo Fundo, 2005.

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 

Formulário de Inscrição

  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook

©2020 por Toca SC. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now